quinta-feira, 22 de fevereiro de 2007

PARA QUE TODOS CONHEÇAM O MEU RINCÃO


Araguaína sob ameaça de temporal - 22 de fevereiro 17h05m


Pista onde pratico cooper diariamente - 22/02/07 - 17h05m



A BELA ARAGUAÍNA

Araguaína é uma cidade de aproximadamente 150 mil habitantes (Palmas, a capital, tem cerca de 180 mil), mas economicamente é a mais importante. A tal ponto a pecuária é a mola propulsora de seu desenvolvimento que é chamada de Capital do Boi Gordo. O forte aqui é a criação de nerole para corte. Na cidade e na região são mais de meia dúzia de frigoríficos que abastecem os mercados do Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste do Brasil. Será em breve beneficiada com a passagem da controversa e interminável ferrovia Norte — Sul, que fará a ligação do Pará a Senador Canedo em Goiás. Por esse eixo deverão ser transportadas milhares de toneladas da produção agro-industrial da região (é o projeto!).
A cidade situa-se na região do Bico do Papagaio(420 km de Palmas e 1150 km de Goiânia), nacionalmente conhecida em décadas passadas pelos conflitos fundiários e assassinatos de religiosos, sindicalistas e posseiros. No entanto, isso hoje é já página virada. E a região, de extrema beleza, vem reconstruindo a sua reputação em cima disso (breve abordarei esse tema). A sua principal ligação ao Centro-Sul do país é a Br 153, que vai de Belém ao Rio Grande do Sul. Araguaína é um lugar que tem seu pico de visita turística no meio do ano. Não por ter belíssimas praias fluviais, que elas distam entre 60 e 100 km, para o Araguaia e Tocantins, mas por ser um ponto de apoio fundamental para quem procura usufruir dessas delícias. E tudo servido por bom asfalto e infra-estrutura adequada.
A foto acima é de hoje, 22 de fevereiro, quando o poeta aqui se preparava para mais um dia de corrida amadora na avenida Marginal Neblina, para onde convergem os atletas no final do dia. É um local agradável, com pracinhas para atividades físicas e cerca de 2,5 km de pista de cooper na marginal do córrego, nos dois sentidos. É um ponto privilegiado no centro da cidade que diariamente recebe a visita de mais de 500 atletas.
O tempo fechou na hora dessa foto, aqui chove bastante de setembro a maio, algumas vezes até junho, e nos meses de novembro a março as chuvas são intensas. O carnaval foi todo debaixo d’água. Por assim dizer, aquático. E hoje quando me preparava para meus exercícios diários armou a maior chuva e corri em casa(moro a 50 m da marginal), peguei a máquina fotográfica e pensei “os amigos precisam ver isso”. E aí está!
Depois voltamos ao assunto.


jjLeandro em

http://jjleandro.blog.terra.com.br/

................










































Um comentário:

F... disse...

Passei só p/ te desejar um
ótimo final de semana .
Bj´s em seu coracion