domingo, 16 de agosto de 2009

UM POEMA NOS OLHOS DO MORTO

Há um derradeiro poema
nos olhos do morto
Que a eternidade assim escreveu:
“se morri para o mundo,
É porque pra mim
o tempo morreu.”

E no velório quem ao seu
Lado estiver posto,
Miséria!, só o vai ler
Depois de morto.



jjLeandro

Um comentário:

Francisco Perna Filho (Chico Perna) disse...

Amigo, muito bom o poema, fico feliz que estejas produzindo e bem.
Tenho um selo para seu blog no meu blog, vá buscá-lo.

Abraço,
Chico Perna