quarta-feira, 29 de julho de 2009

O AMOR É CEGO

Eu te conquistei
De olhos abertos,
Tateando no escuro.
Mas minha mãe inconformada
Com teu nariz adunco
A todo instante dizia:
Abre o olho
Que em vez de ceifares
O trigo,
Colheste a escolha.
E eu repetia
De olhos arregalados
O que sempre prego:
Não sabes
Que o amor é cego?


jjLeandro

2 comentários:

**lugullar** disse...

Leandro

Parabéns pelo trabalho com as letras, marcante e lirico. Gostei! Te convido a conhecer os meus blogs:

www.becodalua.blogspot.com
e http://alimentosprovisorios.wordpress.com

será um prazer tê-lo por lá.

boa sorte no top blog!

abraço

lugullar

katine walmrath disse...

que lindo!
:-)