segunda-feira, 10 de setembro de 2007

FLORA DO CERRADO

A árvore da foto abaixo é uma sucupira-branca(Pterodon emarginatus), muito comum no Cerrado, cujas sementes, chamadas favas de sucupira, mergulhadas em líquido libera um travo altamente amargo e muito utilizado na medicina popular. Nessa época do ano no Tocantins (a foto é de Caseara), ela cobre-se de flores muito belas que contrastam com o verde das folhas miúdas, em belos matizes coloridos, como se vê. Você pode estar se perguntando: por que sucupira-branca? De fato, nem nas folhas nem nas flores há qualquer referência ao branco. Sequer nas sementes de um pardo puxado ao creme. Mas tem sim o nome tudo a ver com a árvore: a madeira é bem clara, quase branca e o nome justifica-se mais ainda quando comparada à homônima (Sucupira-preta –Bowdichia virgilioides Kunth), de madeira escura quase negra.
















A sucupira-branca em toda sua majestade.














Detalhe da copa de uma sucupira-branca florida em setembro.


















As flores da sucupira-branca em cacho.

















As sementes como caem da sucupira-branca. Elas possuem aletas para disseminação pelo vento. Com vento forte, como é comum no período de estiagem no Cerrado, elas podem "voar" até 200 metros. Muitas outras variedades da flora do Cerrado possuem igualmente "asas" para voar longe.
















Esmagamento das aletas para retirada das sementes(favas).

















As sementes(favas) de sucupira após a retirada das aletas. Assim elas são comercializadas e entram na composição das bebidas medicinais.

Um comentário:

Lucia disse...

Olá, JJ Leandro
Que belas fotos a desta Sucupira, não é comum por aqui. Estou fazendo um post sobre a Sucupira branca e vou fazer um link para este seu post.
abs.
Lúcia