quarta-feira, 28 de março de 2007

FRANCINNE, ASSIM EROS POETAS




Poeta e jornalista - Francinne Amarante http://francinneamarante.blog.uol.com.br

UMA POETA QUE DESPONTA NO OVERMUNDO pela qualidade de suas poesias e versatilidade que emprega em seus textos. Com propriedade é suave, sensual, erótica, lírica, tudo junto ou separado. Na mistura que faz com as palavras consegue extrair desse balaio poesia e prosa de primeira.
Por isso, essa justa homenagem. Quem duvidar do que digo pode ir ao linque acima que consta na leganda da foto.

Abaixo três de suas poesias.

Sanha

Os ‘oio’ de bicho
Fogueira que chama
P’ro vício do cio
Minha quentura reclama
Feitiço, feitiço!
João menino do carneirinho
Se pego essa faceira
Dona cheirosa que me azoina
Me entrego às garras na Cheia
Lua venha e clareia!
Que fure, rasgue e sangre!
Capturo a felina no laço
Que ela ruja nos meus braços
O gozo do pecado..Ah...
N’um devolvo pro dono não.
*
*
*
Seja onde flor

Sei que me olhas.
Quero que me veja
Em todos os ângulos.
Vesgo, inicias em minhas nervuras
Nenhures, aqui nem ali...
Em coisa alguma.
Assim não me acharás!
Invejas minha liberdade:
Dentro, larga, estreita.
Sentes arrepios; não entendes.
Hahaha...
Vejas o agora apenas!
Nem permaneço.
Nem penso.
Nem fim.
Não estou fora, amor!
Meu coração está centro.
Minha janela abre em frestas
Não inventes uma brecha extra,
Sintas o perfume, entre!
Basta os poros sentirem,
Respires esse aroma
Não se iluda!
Minha porta esta aberta,
Toques sem culpa.
Bebas dessa seiva infinita
Pólen seu na língua minha,
Veludo, cor de Mim.
Penetre sem medo, imerso.
Hímem tal imbé é puro ímã.
Pétala a pétala transmutas o véu.
Me desvele!
Amor vamos fazer...
Implodir para explodir.
Amor, eu viro você
E você se vira,
Vira Eu, amor!
*
*
*
Aguardeiro

São Fauno
Monstro fetichista
Poeta cruel
Liberta-me!
Estou em faíscas
Obscena delicadeza
Isca ávida por doar
Monástico!
Quero flores
Sinta meu perfume
Deflora-me!
Libertino paciente
Derrama-me!
Sou correnteza
Escorro morna
Com a sede da pressa
Demore frente à fresta
Beba-me!
Depois de viciado...
Esqueça-me!

Francinne Amarante
................
*
*
jjLeandro em outras

2 comentários:

katinewalmrath disse...

A generosidade de um verdadeiro poeta em compartilhar o espaço com os talentos que vai garimpando pelo universo afora.
É um encanto ver.
Abraços!

Walquíria Raizer disse...

...à flor da àgua. Nelas nadam-se os peixes.
(Leio-te sempre.)
Beijos,